ATIVIDADES/EXERCÍCIOSSintaxe

ATIVIDADES/EXERCÍCIOS – SINTAXE 1 – TERMOS DA ORAÇÃO: Sujeito e predicado

By 5 de outubro de 2011 42 Comments

ATIVIDADES/EXERCÍCIOS – SINTAXE 1

Assunto: Termos da oração – sujeito e predicado
Caro estudante, estes exercícios devem ser feito após o estudo do Roteiro nº 2 sobre Noções de Sintaxe. Caso você não tenha feito o estudo recomendamos que o faça antes de responder a estas questões.

1. Nas orações: “Fiquei em casa.” e “Necessita-se de ajuda.” temos, respectivamente, sujeito:
a. (   ) indeterminado e indeterminado
b. (   ) simples e simples
c. (   ) oculto e indeterminado
d. (   ) simples e inexistente
e. (   ) indeterminado e inexistente

2. Aponte a oração em que o sujeito é simples:
a. (   ) Você e ele também são importantes.
b. (   ) Fala-se muito.
c. (   ) Há muitas vagas.
d. (   ) Chegaram ele e o irmão.
e. (   ) Apareceu no bairro um novo circo.

3. Assinale a oração sem sujeito:
a. (   ) Iremos à festa.
b. (   ) Chove muito nesta cidade.
c. (   ) Regressaram os trabalhadores.
d. (   ) Perdeu-se uma boa oportunidade.
e. (   ) Estou aqui.

4. Em: “Construiu-se a ponte”, o sujeito é:
a. (   ) indeterminado
b. (   ) simples (se)
c. (   ) inexistente
d. (   ) composto
e. (   ) simples (a ponte)

5. Assinale a única oração que não possui sujeito:
a. (   ) Os tomates caíram sobre ele.
b. (   ) Queixou-se da prova.
c. (   ) Havia saído o aluno.
d. (   ) Não existe essa possibilidade.
e. (   ) Neva muito na Europa.

6. Assinale a alternativa que tem oração sem sujeito:
a. (   ) Existe um povo que a bandeira empresta.
b. (   ) Embora com atraso, haviam chegado.
c. (   ) Existem flores que devoram insetos.
d. (   ) Alguns de nós ainda tinham esperança de encontrá-lo.
e. (   ) Há de haver recurso desta sentença.

7. Assinale a alternativa que indica o termo da oração que está fora do padrão de construção na língua portuguesa (sujeito + predicado + complementos) na estrofe abaixo:
“Lembro-me que, em certo dia,
Na rua, ao sol de verão,
Envenenado morria
Um pobre cão.”
a. (   ) objeto direto: um pobre cão
b. (   ) sujeito: um pobre cão
c. (   ) sujeito: certo dia
d. (   ) predicado: lembro-me
e. (   ) predicativo do sujeito: me

8. Identifique, nas orações abaixo, o sujeito e seu núcleo e classifique-o:

a) A menina distraída perdeu o anel.

Sujeito ___________: ________________________

Núcleo do sujeito: ___________________________

b) O cachorro barulhento e o papagaio tagarela chamam a atenção.

Sujeito ___________ : _____________________

Núcleo do sujeito:________________________________________

c) Os alunos deram um duro na prova.

Sujeito ____________ : ______________

Núcleo do sujeito: _________________________________________

d) O motorista novo errou o caminho.

Sujeito ______________: __________________

Núcleo do sujeito: ____________________________

e) Ali vêm os meus amigos.

Sujeito __________: __________________________

Núcleo do sujeito: _____________________________

f) Divertiam-se muito as crianças.

Sujeito ____________: __________________________

Núcleo do sujeito :_______________________________

g) Nosso time venceu a partida.

Sujeito ______________: ___________________________

Núcleo do sujeito: __________________________________

h) A torcida, animada, aplaudia os atletas.

Sujeito ____________: ________________________

Núcleo do sujeito:______________________________

9. Transforme o sujeito simples em sujeito composto, usando a palavra entre parênteses, e fazendo as adaptações necessárias na frase:
a) A mãe estava eufórica. (filhos)
b) O terreno é nosso. (casa)
c) A jabuticabeira está carregada de frutos. (abacateiro)
d) O jasmin perfuma o ar. (cravo)
e) A casa é nossa. (cachoeira)
f) O vale é verde. (montanha)
g) O filho concordou. (filha)
h) Desculpou-se o rapaz. (moça)

10. Escreva nos parênteses – OSS para oração sem sujeito; SC para sujeito composto; SS para sujeito simples; SI para sujeito indeterminado; SO para sujeito oculto.
a. (     ) A escola ficava num morro.
b. (     ) Os meninos e as meninas estavam no pátio.
c. (     ) Venta 
d. (     ) e chove.
e. (     ) Há muitos trabalhadores na fábrica.
f. (     ) A abelha e o beija-flor sugam o néctar das flores.
g. (     ) Faz dois meses 
h. (     ) que cheguei.
i. (     ) Já faz três anos.
j. (     ) Roubaram os documentos.
k. (     ) Gosto da natureza.

11. Transforme os sujeitos compostos em sujeitos simples, sem alterar o sentido da frase:
a) Eu e você iremos à festa.
b) Eu e tu faremos a tarefa.
c) Eu e ele discutimos bastante.
d) Tu e ela voltastes cedo.
e) Tu e eles obtivestes sucesso.
f) Ele e ela vivem discutindo.

12. Retire da frase o que se pede entre parênteses:
a) Helena defendeu Henrique. (sujeito)
b) O velho pátio estava vazio. (núcleo do sujeito)
c) Minha jóia desapareceu. (predicado)
d) Tu eras conscienciosa. (sujeito)
e) Você acertou. (predicado)
f) O rapaz desistiu. (predicado)
g) A pulseira nova sumiu. (núcleo do sujeito)
h) Os cochichos eram muitos. (núcleo do sujeito)

_______________________________________________________

GABARITO:

Questões:    1. c       2. e        3. b         4. a       5. e        6. e        7. b

Questão 8.
a) Sujeito simples: a menina distraída      Núcleo do sujeito: menina
b) Sujeito composto: o cachorro barulhento e o papagaio tagarela    Núcleo do sujeito: cachorro, papagaio
c) Sujeito simples: os alunos         Núcleo do sujeito: alunos
d) Sujeito simples: o motorista novo        Núcleo do sujeito: motorista
e) Sujeito simples: os meus amigos       Núcleo do sujeito: amigos
f) Sujeito simples: as crianças         Núcleo do sujeito: crianças
g) Sujeito simples: nosso time        Núcleo do sujeito: time
h) Sujeito simples: a torcida        Núcleo do sujeito: torcida

Questão 9.
a) A mãe e os filhos estavam eufóricos.
b) O terreno e a casa são nossos.
c) A jabuticabeira e o abacateiro estão carregados de frutos.
d) O jasmin e o cravo perfumam o ar.
e) A casa e a cachoeira são nossas.
f) O vale e a montanha são verdes.
g) O filho e a filha concordaram.
h) Desculparam-se o rapaz e a moça.

Questão 10.
a. ( SS )  b. ( SC )   c. ( OSS )   d. ( OSS )  e. ( OSS )  f. ( SC )    g.( OSS )   h. ( SO )    i. ( OSS ) j. ( SI )  k. ( SO )

Questão 11.
a) Nós iremos à festa.
b) Nós faremos a tarefa.
c) Nós discutimos bastante.
d) Vós voltastes cedo.
e) Vós obtivestes sucesso.
f) Eles vivem discutindo.

Questão12.
a) Helena
b) pátio
c) desapareceu
d) Tu
e) acertou
f) desistiu
g) pulseira
h) cochichos

42 Comments

  • Luis Fernando Martins disse:

    Obrigado pelo conteúdo muito bem explicativo e o sistema de questões muito didático e eficiente.

  • MARILIA disse:

    ( Piçarras/Santa Catarina) MUITO BOM O MATERIAL DE INTERPRETAÇÃO. OBRIGADA, USEI E USO PARA AS AULAS DE RECUPERAÇÃO DE MEUS ALUNOS QUE TÊM MUITA DIFICULDADES EM INTERPRETAÇÕES.

  • Poliana disse:

    Gostei muito dos exercícios, só que no exercício 4, “Contruiu-se a ponte” – quem controi, controi alguma coisa, objeto direto. O sujeito é simples, a ponte. A frase está na voz passiva e o se é partícula apassivadora. Resposta correta, letra E.

    • admin disse:

      Olá, Poliana! Desculpe-nos por somente agora respondermos ao seu questionamento. Mas ainda há tempo para esclarecermos a questão.

      Cremos que você está equivocada a respeito da resposta da questão 4, do arquivo Atividades/exercícios – Sintaxe 1 – Termos da Oração: sujeito e predicado. Para melhor esclarecer, transcrevemos o que diz CELSO FERREIRA DA CUNHA em sua Gramática da Língua Portuguesa (12a. edição, 1992 – FAE/Ministério da Educação, pág. 141):

      “Algumas vezes o verbo não se refere a uma pessoa determinada, ou por se desconhecer quem executa a ação, ou por não haver interesse no seu conhecimento. Dizemos, então, que o sujeito é indeterminado. Nestes casos em que o sujeito não vem expresso na oração nem pode ser identificado, põe-se o verbo:
      a) ou na 3a. pessoa do plural:
      “Nunca lhe deram nada.” (Cecília Meireles, OP) “Mandaram chamar Isabela.” (A.M. Machado, HO)

      b) ou na 3a. pessoa do singular, acompanhado do pronome se:
      “Falava-se baixo, num burburinho, num zum-zum.” (G. Amado, HMI) “Precisa-se de operários.” (A.M. Machado, CJ)

      Os dois processo de indeterminação do sujeito podem concorrer no mesmo período:
      “- Mataram uma moça! – comentava-se dentro dos bares. ” (A.M. Machado, HR)

      Vejamos a frase do exercício: Construiu-se a ponte.

      A frase está na voz ativa. O verbo construir encontra-se na 3a. pessoa do singular e está acompanhado do pronome “se”. Se você retirar o “se” da frase, a construção será: construiu a ponte. Nesse caso podemos deduzir que “ele” construiu a ponte. Mas, com o “se” você ainda será capaz de dizer quem realmente construiu a ponte?
      Mesmo que você passe a oração para a voz passiva, ainda assim ninguém consegue saber exatamente quem construiu a ponte:

      A ponte foi construída…… (por quem?)

      Lembre-se de que o sujeito na voz ativa é o que executa a ação do verbo. No caso, quem fez a ação de construir a ponte? Alguém fez mas não se sabe exatamente quem! O sujeito é indeterminado.

      Se esta frase estivesse na voz passiva ela seria escrita assim: A ponte foi construída. Saberíamos o que foi construído mas quem fez a ação de construir ainda seria uma incógnita. O sujeito na oração é indeterminado e a ponte é objeto direto do verbo construir.

      Na voz passiva, o que era objeto direto na voz ativa passa a ser sujeito e o sujeito da voz ativa passa a ser agente da passiva. Veja o exemplo:
      Voz ativa: O engenheiro construiu a ponte. Sujeito agente = o engenheiro; objeto direto = a ponte
      Voz passiva: A ponte foi construída pelo engenheiro. Sujeito paciente = a ponte agente da passiva = pelo engenheiro.

      Esperamos ter esclarecido o assunto. Para saber mais sobre sujeito/objeto, estude o Roteiro de Estudo 03 – Sintaxe e sobre Vozes do verbo veja o Roteiro 6.

      • Beatriz Barros disse:

        Muito bom! Arrasou. Usarei muitos conteúdos daqui com meus alunos!
        Grata!

      • Sueli disse:

        Ainda não concordei com a resposta de vocês sobre a questão 4. O sujeito é simples.(a ponte) sujeito paciente. Pelo engenheiro é agente da passiva.

        • Olá, Sueli! Obrigada por sua visita ao nosso site. Respondendo ao seu questionamento sobre a resposta dada à questão 4 existente no arquivo ATIVIDADES/EXERCÍCIOS – SINTAXE 1 – TERMOS DA ORAÇÃO, onde a resposta correta é a letra A, temos a esclarecê-la que nesta frase “Construiu-se a ponte”, o sujeito é mesmo INDETERMINADO porque não se sabe exatamente quem fez a ação do verbo construir.
          O professor e doutor em Língua Portuguesa, CELSO FERREIRA CUNHA, autor de vários livros sobre nossa língua explica:
          “Algumas vezes o verbo não se refere a uma pessoa determinada, ou por se desconhecer quem executa a ação, ou por não haver interesse no seu conhecimento. Dizemos, então, que o SUJEITO É INDETERMINADO. Nestes casos em que o sujeito não vem expresso na oração, nem pode ser identificado, o verbo aparece:
          a) ou na 3a. pessoa do plural. Ex: Nunca lhe deram nada. Mandaram chamar Isabela.
          b) ou na 3a. pessoa do singular, acompanhado do pronome SE. Ex: Precisa-se de operários.
          (Celso Ferreira Cunha. Gramática da Língua Portuguesa. FAE/MEC, 12a. Edição, Rio de Janeiro, 1992, pág.141)

          Na frase em questão não existe a expressão “pelo engenheiro” que você aponta como agente da passiva. Nesta frase, “a ponte” exerce a função de objeto direto. Para você achar o sujeito de uma oração é só fazer a seguinte pergunta: quem construiu a ponte? Isto é: quem fez a ação de construir? Qual é a resposta que você encontra? Nem eu, nem você sabemos. E até se pode deduzir ou inventar, mas dizer com certeza, não podemos dizer quem construiu essa ponte. Portanto, o sujeito é indeterminado. Outra pista para se dizer que o sujeito é indeterminado é que o verbo está na 3a. pessoa do singular acompanhado do pronome “se”: construiu-se.
          Se você tem interesse em saber mais sobre sujeito, recomendo-lhe acessar o arquivo NOÇÕES DE SINTAXE, ROTEIRO 03. Lá você vai encontrar informações mais detalhadas, inclusive sobre sujeito agente e paciente.
          Esperamos tê-la ajudado

  • Lindalva disse:

    Adoro o trabalho de vocês, mas tenho uma dúvida e gostaria de saná-la, ajudem-me se puderem. Respondam por favor quando devo em uma frase usar “de” o “do”? Cite exemplos.
    Se é interpretação de texto ou interpretação do texto, Saída de alunos ou saída dos alunos?

    • admin disse:

      Olá, Lindalva! Aqui vai a resposta da sua dúvida.
      Usa-se “de” quando não queremos ou não podemos determinada o substantivo a que ele está ligado. A expressão “saída de alunos” deve indicar o local por onde sai
      qualquer aluno, isto é, não estamos determinando que tipo ou quais alunos saem por esse lugar. Veja a expressão nas frases:
      O tumulto se deu na saída de alunos. (isto é, no local por onde os alunos saem)
      O tumulto se deu na saída dos alunos. (isto é, no momento em que os alunos saíam)

      O mesmo acontece com a expressão “interpretação de texto” e “interpretação do texto”. A primeira expressão indica a ação a ser feita com qualquer texto; a segunda indica que determinado texto foi ou será interpretado.
      Em todo caso, o uso deve levar em consideração o que queremos informar, isto é, a mensagem.

  • ledaiana disse:

    (Ariquemes/RO) Parabéns! Muito bom mesmo! Só tenho a agradecer, pois estou começando na educação a pouco tempo e estou muito contente em ver tantas coisas boas, tantos profissionais bons como você….. Os exercícios são ótimos!

  • Professora Ana Maria disse:

    Este site me foi indicado por uma colega e adorei, pois além de estar sempre aprendendo com vocês, estou conseguindo de uma forma prazerosa, ensinar meus alunos a aprenderem e gostarem de português. Obrigada por esse site MARAVILHOSO!!!

    Ana Maria

  • Natalina disse:

    (Caetité-BA) Gostei muito do esclarecimento da questão 4, pois estou preparando atividade avaliativa e já havia pensado em a ponte como objeto direto e o comentário de Poliana quase me confundiu. Obrigada.

  • maria aparecida disse:

    Muito bom! Gostei muito. É muito bom contar com vocês.

  • paloma Luz disse:

    Obrigada pela ajuda. Aprendi muito com as questões. Tenho certeza de que farei uma boa prova.

  • Lolinda Belchior disse:

    Muito legal! Aprendi bastante … vou fazer uma boa prova!!

  • rafael disse:

    Adore! Meu Deus, que máximo!

  • EDILEUZA disse:

    Excelente material, fiquei encantada.
    Obrigado.

  • Andrea disse:

    Com relação a questão 1 na primeira oração não há sujeito simples e sim desinencial ou oculto.

  • LUANA disse:

    PARABÉNS! Adorei! Obrigada.

  • Elisângela disse:

    Que trabalho maravilhoso!!! Tanto pelo conteúdo quanto pela magnífica disposição em dividir conhecimentos!!! Parabéns!

  • Carolina disse:

    Muito bom esse site. Tenho provão daqui a 2 dias e estou treinando com esse site que achei maravilhoso. Muito obrigada! Façam mais exercícios assim. Tchau!

  • Ronaldo Cavalcante disse:

    Muito bom, parabéns e obrigado!

  • Marcos Aurélio disse:

    Sobre a questão de número 5, gostaria de uma explicação, pois não entendi o porquê da resposta correta ser a letra E “Neva muito na Europa”. Agradeço imensamente!

    • Olá, Marcos Aurélio! Desculpe-nos por só agora responder ao seu questionamento sobre a questão 5 do Exercício sobre Sintaxe I – Termos da Oração: sujeito e predicado, onde a questão pede que seja identificada a oração que não possui sujeito, isto é, que não existe quem faça a ação do verbo.
      As boas gramáticas informam que verbos que indicam ações da natureza como: nevar, chover, trovejar, gear, relampejar não possuem quem faça essas ações. Não se diz: a chuva choveu; a neve nevou, o trovão trovejou, a geada geou… Por isso a alternativa “E” é correta.
      Entretanto, ao examinarmos o exercício vimos que também a oração da alternativa “A” não possui sujeito.
      Graças ao seu questionamento encontramos essa situação, que já consertamos. Obrigada!

  • gabriela disse:

    Nossa! Esse site me ajudou muito, são execícios fáceis e que ajudam muito o aluno com dificuldades na matéria de termos da oraçao. Muito bom mesmo!!!!!

  • Pettan disse:

    Valeu aí pelos exercícios.

  • Juliana disse:

    Muito legal!!! 😀

  • Gustavo disse:

    Muito obrigado pelo exercício , acertei todas com excessão da número 7 , mas foi porque eu não entendi mesmo. Kk

  • Isabela disse:

    Sobre a questão 5 (nunca fui boa com verbo) o verbo haver não tem sujeito, mas ‘havia’ tem? Fiquei confusa. Obrigada por disponibilizar esse material.

    • Olá, Isabela! Obrigada pela visita ao nosso site. Sobre a questão 5 do Exercício Sintaxe 1 – Termos da Oração: sujeito e predicado, temos a esclarecer que: a questão a que você se refere pede que assinale a oração que não tem sujeito. A frase “Havia saído o aluno” apresenta o verbo haver no papel de auxiliar do verbo principal “sair”. Nesse caso, quem “manda” na oração é o verbo sair e não o verbo haver. Se você fizer a seguinte pergunta: quem havia saído? a resposta vem em seguida: “o aluno”, que é quem executa a ação do verbo sair. E quem faz ou executa a ação do verbo principal será sempre o sujeito, que nesse caso é: o aluno. Portanto essa oração possui sujeito.

      Esperamos ter esclarecido sua dúvida.

  • Jonathan Araujo disse:

    No número 4, o sujeito é simples.

    • Jonathan, na frase “Construiu-se uma ponte” você consegue identificar quem fez a ação de construir a ponte? No caso, não se sabe quem construiu a ponte mesmo que se passe a frase para a voz passiva: uma ponte foi construída. Quem construiu? Não conseguimos identificar. Por isso o sujeito é indeterminado, e não simples.

  • Ana disse:

    Olá! Gostaria de saber por que, na questão 5, as respostas corretas eram E e A? Não entendi por que a “A” também é a correta! Já que pede uma oração sem sujeito e o sujeito na frase é “o tomate”!
    Espero que entendam minha dúvida e a esclareçam! Obrigada! 👍🏻

    • Olá, Ana! Obrigada pela visita ao nosso site. Quanto à questão 5, dessa Atividade, queremos chamar sua atenção para o que o exercício pede:
      Assinalar a ÚNICA oração que NÃO TEM SUJEITO. Somente a alternativa “E” se enquadra na solicitação, porque o verbo nevar indica ação da natureza e nesse caso não existe sujeito. Todas as outras orações apresentam sujeito.

  • Cássio disse:

    Olá, quanto à questão 7, parece-me que “um pobre cão” é objeto indireto e não sujeito. Pode me explicar?
    Obrigado!!!

    • Olá, Cássio! Obrigada por sua visita ao nosso site. Quanto à sua dúvida a respeito da questão, temos a esclarecer que a estrofe é um período composto (possui duas orações):
      1. Lembro-me
      2. que, em certo dia, na rua, ao sol de verão, envenenado morria um pobre cão.

      A segunda oração está fora do padrão ou da ordem de construção da oração na língua portuguesa (sujeito + predicado + complementos). Para descobrir onde está o sujeito temos que perguntar ao verbo: quem morria? Resposta: um pobre cão. Vemos que o sujeito “um pobre cão” se encontra localizado no final da estrofe, em vez de no início da oração, como é o padrão. Colocando a oração na ordem direta teremos: Um pobre cão morria envenenado na rua, ao sol de verão, em certo dia. Ao fazermos a análise sintática desta oração teremos:
      sujeito – um pobre cão
      predicado – morria envenenado na rua, ao sol de verão, em certo dia.
      complementos (adjuntos adverbiais) – envenenado, na rua, ao sol de verão, em certo dia.

      O verbo morrer, aqui, é INTRANSITIVO, isto é, não exige complemento para para o seu sentido. Portanto, não há objeto direto ou indireto.

  • Brenda Marinho disse:

    Olá, poderia me explicar pq na questão 12 letra d, o verbo fica na 3º pessoa do singular, sendo o sujeito tu? Obrigada!!

    • Olá, Brenda! Obrigada pela visita ao nosso site e por seu questionamento a respeito da questão 12-letra D. Realmente, houve um erro de digitação do verbo na 2a. pessoa do singular do verbo ser. O certo é: Tu eras conscienciosa. Já corrigimos.

Leave a Reply