ATIVIDADES/EXERCÍCIOSEnsino MédioTEXTOS PARA INTERPRETAÇÃO

TEXTO PARA INTERPRETAÇÃO 22 – A SOLUÇÃO (Nível Médio)

By 14 de novembro de 2011 26 Comments

TEXTO PARA INTERPRETAÇÃO 17 – A SOLUÇÃO (Nível Médio)

O texto abaixo, escrito por Luis Fernando Veríssimo, baseia-se numa das mais lidas e comentadas fábulas de Esopo, “O lobo e o cordeiro”, da qual já temos publicado várias versões e traduções em língua portuguesa. O escritor utiliza a mensagem original da fábula para denunciar situações e posturas que agridem o meio ambiente. Leia também as traduções da fábula O Lobo e o Cordeiro, postadas neste site nos arquivos sobre Atividades/Literatura e Textos para Interpretação número 11

A SOLUÇÃO

O sr. Lobo encontrou o sr. Cordeiro numa reunião do Rotary e se queixou de que a fábrica do sr. Cordeiro estava poluindo o rio que passava pelas terras do sr. Lobo, matando os peixes, espantando os pássaros e, ainda por cima, cheirando mal.

O sr. Cordeiro argumentou que, em primeiro  lugar, a fábrica não era sua, era de seu pai, e, em segundo lugar não podia fechá-la, pois isto agravaria o problema do desemprego na região, e o sr. Lobo certamente não ia querer bandos de desempregados nas suas terras, pescando seu peixe, matando seus pássaros para assar e comer e ainda por cima cheirando mal.

– Instale equipamento antipoluente, insistiu o sr. Lobo.

– Ora, meu caro, retrucou o sr. Cordeiro, isso custa dinheiro, e para onde iria meu lucro? Você certamente não é contra o lucro, sr. Lobo! disse o cordeiro, preocupado, examinando o sr. Lobo atrás de algum sinal de socialismo latente.

– Não, não! disse o sr. Lobo. Mas isto não pode continuar. É uma agressão à Natureza e, o que é mais grave, à minha Natureza. Se fosse à Natureza do vizinho…

– E se eu não parar? perguntou o sr. Cordeiro.

– Então, respondeu o sr. lobo, mastigando um salgadinho com seus caninos reluzentes, eu serei obrigado a devorá-lo, meu caro.

Ao que o sr. Cordeiro retrucou que havia uma solução:

– Por que o senhor não entra de sócio na fábrica Cordeiro e Filho?

–  Ótimo, disse o sr. Lobo.

E desse dia em diante não houve mais poluição no rio que passava pelas terras do sr. lobo. Ou pelo menos, o sr. Lobo nunca mais se queixou.

(Luis Fernando Veríssimo. Santinho. Porto Alegre, L&PM.)

Vocabulário:

Rotary – organização filantrópica internacional espalhada em mais de 150 países. Fundada nos Estados Unidos em 1905, seus associados, inicialmente se reuniam em suas próprias casas, num sistema de rotatividade, derivando daí o nome de Rotary.

Socialismo – doutrina que visa melhorar o bem comum pela transformação da sociedade.

Latente – oculto, disfarçado

____________________________________________________________

1. Lendo o texto podemos concluir que:

a. (   ) O lobo age simplesmente como um animal selvagem.

b. (   ) O cordeiro é apenas um animal doméstico.

c. (   ) O lobo e o cordeiro agem, falam e raciocinam como se fossem pessoas. Ambos são animais personalizados na história.

2. Argumentar é defender uma ideia, baseando-se em fatos e provas. Que argumentos apresentou o sr. Cordeiro ao sr. Lobo para não fechar a fábrica que estava poluindo o rio?

3. O texto baseia-se na fábula “O lobo e o cordeiro” de Esopo, que tem um final diferente desta. Liste as igualdades e diferenças existentes entre as narrativas. Você terá que ler também as traduções da fábula escrita por Esopo postada neste site.

4. Este texto nos sugere que:

a. (   ) os fracos sempre têm uma saída contra os poderosos.

b. (   ) o homem sempre procura seus interesses

c. (   ) os mais fortes acabam tirando vantagens e levando a melhor sobre os mais fracos

5. O texto nos remete a problemas que se agravam nas grandes cidades. Cite um deles que está presente na narrativa.

6. Toda fábula encerra uma lição ou ensinamento moral, onde os escritores a concluem com uma pequena frase ou “moral da história”. No texto, Luis Fernando Veríssimo não faz o encerramento desta história com esta pequena frase. Escreva você, então, uma pequena frase que traduza a lição ou moral desta história.

_________________________________________________________

GABARITO

Questão 1:   Alternativa C

Questão 2:

1 – que a fábrica não era sua, era de seu pai

2 – não poderia fechá-la porque agravaria o problema do desemprego na região

3 – os desempregados iriam invadir as terras do sr. Lobo e consumir os peixes, os pássaros e ainda iam cheirar mal

Questão 3:

Na fábula de Esopo Na história de Veríssimo
1. o lobo e o cordeiro não são amigos e se encontram por acaso no riacho;

2 . o lobo acusa o cordeiro de poluir as águas do riacho onde ele costuma beber;

3. o cordeiro se defende com argumentos irrefutáveis (estava abaixo da correnteza do rio; não havia nascido ainda na época que o lobo o acusou de falar mal dele)

4. O lobo não se convence com os argumentos do cordeiro e o devora.

1. O lobo e o cordeiro são amigos e frequentam o mesmo lugar.

2. O lobo acusa o cordeiro de poluir as águas do rio que passa em suas terras, por causa da fábrica de propriedade do cordeiro;

3. O cordeiro se defende com argumentos fáceis de ser derrubados; ele era dono da fábrica sim, pois seria o herdeiro natural dos bens de seu pai, além do que o nome da fábrica era “Cordeiro e Filho”; o cordeiro argumentou que não poderia fechar a fábrica por causa do desemprego que causaria, mas na realidade ele pensou na perda de seus lucros quando disse que instalar um antipoluente custaria muito dinheiro e com isso não teria lucro.

4. O lobo ameaça devorar o cordeiro se a situação não for corrigida.

5. O cordeiro dá uma solução para o impasse: convida o lobo para ser sócio com ele na fábrica.

6. O lobo aceita a oferta e daí em diante não houve mais queixas a respeito da poluição causada pela fábrica.

7. Deduz-se que o lobo estava mesmo interessado na participação dos lucros que a fábrica lhe traria e não no combate à poluição do meio ambiente.

Questão 4.  Alternativa B

Questão 5. A poluição do meio ambiente pelas fábricas.

Questão 6. Resposta pessoal.

26 Comments

Leave a Reply