Ensino TécnicoTEXTOS PARA INTERPRETAÇÃO

TEXTO TÉCNICO PARA INTERPRETAÇÃO 9 – Planejamento na pré-escola

By 7 de abril de 2013 No Comments

TEXTO TÉCNICO PARA INTERPRETAÇÃO 9 – Planejamento na Escola

PLANEJAR PARA FACILITAR

          Em nosso dia-a-dia enfrentamos diversas situações que requerem um planejamento das diversas etapas de nossa ação. Por exemplo: preparar um alimento, fazer uma limpeza, atender a um freguês, fazer uma compra, preparar-se para dormir, arrumar-se para trabalhar, fazer uma viagem, etc.

      Observe que qualquer uma destas ações tem seus procedimentos característicos; suas diversas etapas podem ser claramente estabelecidas. Dificilmente, porém, nos detemos a explicitar estas etapas, porque a maioria de nossa ações faz parte de um processo rotineiro que desenvolvemos de forma quase automática.

        Todas as vezes que precisamos realizar uma atividade mais complexa, buscamos racionalizá-la estabelecendo a sequência de procedimentos que nos pareça mais adequada para levá-la a termo. Assim, quanto mais complexos os objetivos a atingir, mais necessário se torna o processo de planejamento, visto como um conjunto de ações coordenadas entre si, que concorrem para a obtenção de um resultado desejado.

          O planejamento é aplicável a qualquer atividade humana e a diferentes situações.

    Em educação, são desenvolvidos planejamentos em diversos níveis. Vamos tratar aqui de alguns aspectos do planejamento de ensino, que é aquele realizado pelo professor.

          Durante o período escolar (semestre ou ano letivo), o professor pode organizar três tipo de planejamento de ensino, que, por ordem de abrangência, são os seguintes:

  • Plano de curso – é o delineamento global de toda a ação a ser empreendida;
  • Plano de unidade – é o delineamento das partes da ação pretendida no plano global;
  • Plano de aula – é a especificação das realizações diárias para a concretização dos planos anteriores.

          Pelo significativo apoio que o planejamento empresta à atividade do professor e dos alunos, ele é considerado pela maioria dos educadores como etapa obrigatória de todo trabalho docente. E é mesmo. Você já se viu em uma situação de ensino, da qual poderia se sair muito bem, se tivesse previsto as possíveis alternativas que poderiam ser aplicadas caso o seu plano A não desse certo? O professor precisa ter um plano B e até um plano C para atingir seus objetivos.

          O planejamento tende a prevenir as vacilações do professor, oferecendo maior segurança na consecução dos objetivos previstos, bem como na verificação da qualidade e quantidade da aprendizagem que está sendo orientada.

       Acreditamos que você já tenha comprovado inúmeras vezes que o planejamento de ensino facilita a atividade de professores e alunos. Mas, pode ser que você tenha vivenciado situações em que um planejamento rígido ou mal-estruturado tenha atrapalhado a sua ação e a de seus alunos. Nestes casos, você deve ter pensado que teria sido melhor não planejar, não é mesmo?

          Antes de iniciar a organização da situação de ensino-aprendizagem, de fazer o seu planejamento, é necessário que você esteja bastante seguro de sua própria concepção de educação pré-escolar, de sua noção de infância. É imprescindível que você esclareça para si mesmo a sua visão real da educação em geral e da educação pré-escolar em particular, assim como os elementos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem.

          Se você concebe a educação como a transmissão de um conjunto de conhecimentos, atitudes e habilidades realizada verticalmente (de cima para baixo) por um elemento que detém o saber – o professor, para um elemento ignorante – o aluno, que precisa absorvê-lo, certamente você fará opção por um planejamento mais estruturado, do tipo normativo. A esta concepção ligam-se os métodos pedagógicos mais tradicionais.

          Por outro lado, se para você a educação é um processo dinâmico, realizado numa relação horizontal em que, embora os elementos envolvidos tenham papeis específicos, as duas partes – professor e aluno – são ativas, dividem responsabilidades e se enriquecem mutuamente ao longo do processo. Neste caso, o seu planejamento deve ser livre, flexível, de modo que se adapte a você e aos seus alunos. É o planejamento participativo.

Até aqui vimos que:

  • Repetimos a cada dia muitos procedimentos sobre os quais não refletimos detalhadamente, porque já interiorizamos a ordem das ações estabelecidas por ocasião da aprendizagem.
  • Planejamento é um processo de tomada de decisões dentre possíveis alternativas, tendo em vista ações subsequentes para atingir determinados objetivos de forma mais eficiente.
  • O planejamento de ensino só faz sentido enquanto possibilita um melhor desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem.
  • A concepção de educação de cada professor direciona a escolha do tipo de planejamento que lhe permite concretizá-la.

____________________________________

A seguir, apresentamos algumas perguntas para que você reflita um pouco sobre a educação e as formas de transmitir conhecimento.

  1. O que é educação para você?
  2. Qual a sua noção de infância?
  3. Como você vê o relacionamento professor-aluno?
  4. Como você espera ser visto pelo seu aluno?
  5. Qual o papel que você atribui à educação pré-escolar?

 ____________________________________

Gabarito:

Mostre suas respostas a um colega ou professor de Planejamento Escolar e discuta com eles suas reflexões e seus posicionamentos a respeito do assunto.