Ensino MédioTEXTOS PARA INTERPRETAÇÃO

TEXTO PARA INTERPRETAÇÃO 94 – PROCURA DA POESIA (Nível Médio)

By 29 de dezembro de 2015 2 Comments

TEXTO PARA INTERPRETAÇÃO 94 – PROCURA DA POESIA (Nível Médio)

PROCURA DA POESIA

Penetra surdamente no reino das palavras

Lá estão os poemas que esperam ser escritos.

Estão paralisados, mas não há desespero,

Há calma e frescura na superfície intata.

Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.

Convive com teus poemas, antes de escrevê-los.

Tem paciência, se obscuros. Calma, se te provocam.

Espera que cada um se realize e se consuma

Com seu poder de palavra

E seu poder de silêncio.

Não forces o poema a desprender-se do limbo.

Não colhas no chão o poema que se perdeu.

Não adules o poema. Aceita-o

Como ele aceitará sua forma definitiva e concentrada no espaço.

Chega mais perto e contempla as palavras.

Cada uma tem mil faces secretas sob a face neutra

E te pergunta, sem interesse pela resposta,

Pobre ou terrível, que lhe deres:

– Trouxeste a chave?

(Carlos Drummond de Andrade – fragmento)

 1. Dê o significado das palavras que foram utilizadas no poema:

a) intata           b) obscuro         c) consumir         d) desprender         e) limbo     f) adular

  1. Em que pessoa do discurso foi escrito o poema? Justifique com elementos do texto.
  1. O que quer dizer o verso: “Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.”?
  1. De acordo com o texto, o escritor diz que o poeta é quem cria o poema ou o poema é quem se cria? Por quê?
  1. O que quer dizer o verso “cada uma tem mil faces secretas…”?

________________________________________________________________

Gabarito

1. a) que não foi tocada, mexida

b) escuro, sombrio, difícil de compreender ou explicar, confuso

c) fazer uso de, utilizar

d) desatar-se, desligar-se, afastar-se

e) estado de indecisão. Para os católicos, morada das almas pagãs que morrem sem o batismo

f) bajular, elogiar para obter favores

  1. Foi escrito na 2a. pessoa (tu). Exemplos: “Penetra (tu) surdamente…” ; “Convive (tu) com teus poemas…”; “Tem (tu) paciência…”; “Espera (tu) que cada um…”; “Não forces (tu) o poema…”; “Não colhas (tu) no chão…”; “Chega (tu) mais perto…”; “Trouxeste (tu) a chave?”
  1. Os poemas são escritos com palavras, que separadas não têm sentido, por isso estão “sós e mudos, em estado de dicionário”. Os poemas só são entendidos quando as palavras se relacionam para transmitir uma mensagem.
  1. O poema é quem se cria, porque no texto, o escritor nos incita a esperar pacientemente pelo poema; aceitá-lo; não forçar sua saída do limbo.
  1. Cada palavra pode ser usada das mais diversas formas, com os mais diversos significados, até desconhecidos ou inventados.

 

 

2 Comments

Leave a Reply